'Si me deportan, me torturan', dice el polizón cubano detenido en Miami

El joven Yunier García Duarte, quien llegó a Miamioculto en el compartimiento de carga ...

Cómo Venezuela se quedó sin agricultura y hundida en una crisis alimentaria: "Ya no tenemos nada que

Venezuela, una nación con 32 millones de habitantes y bendecida con tierras fértiles ...

La Casa Blanca estudia una bajada de impuestos y aranceles para evitar la entrada de Estados Unidos

La Casa Blanca considera reducir los impuestos y los aranceles para evitar ...

Brasil ganhará "guerra da informação" sobre a Amazônia

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse neste sábado, 17, que o Brasil ...

Meu Voto PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Miércoles, 17 de Octubre de 2018 07:17

Resultado de imagem para jair bolsonaro

Por Alexandre Ostrowiecki.- 

O PT, perpetuou desigualdades e privilégios, que cristalizou poder e riqueza nas mãos uma pequena elite de políticos, altos funcionários públicos, empresários e grupinhos de interesse. O mesmo PT, que nos legou milhões de desempregados sem condições de sustentar a família.

MEU VOTO

Alexandre Ostrowiecki

O botão que apertar impactará profundamente o futuro do país, pois nunca antes 13 x 17 significaram coisas tão diametralmente opostas. Terei que escolher entre duas más opções. Queria que fossem outros ali na urna, mas infelizmente esses dois são o que temos e a política é a arte de lidar com a realidade.

Por mais difícil que seja, eu decidi me posicionar. Voto nulo é para quem não quer depois aguentar a responsabilidade por suas escolhas. É para quem quiser depois, caso as coisas deem errado, lecionar aos outros “eu não votei nele”, qualquer que seja o “ele”.

Comecemos com Bolsonaro: considero várias de suas declarações como abomináveis e inaceitáveis. Já houve referências extremamente desrespeitosas a negros e índios, já houve horrendas falas contra gays, falas elogiando torturadores e convocando a polícia a matar mais gente ainda do que já o faz.

O Brasil é o país onde mais se mata travestis no mundo, achar que a educação da diversidade sexual nas escolas existe para "incentivar seu filhinho a virar gay" e não para educar sobre homofobia é um absurdo. O Brasil foi o último país do mundo a abolir a escravidão, aqui a ideia de que alguém é inferior por ser negro é algo que está impressa nas camadas mais profundas e ocultas (as vezes não tão ocultas assim) da psiquê nacional. Não dá pra simplesmente chamar de mimimi a questão racial (o que é bem diferente de apoiar ou não as cotas raciais em universidades).

Bolsonaro tem uma das mais infelizes coleções de abusos verbais da nossa política. No entanto, Bolsonaro não se trata de um extremista incomum babando de ódio. A frequente comparação com nazismo é rasa, tosca e ofensiva. Se Bolsonaro = Hitler então certamente Lula = Stalin. Ele me parece, sim, um perfeito recorte de como pensa boa parte da população brasileira, um espelho do povo. Às vezes eu pergunto para mulheres bolsonaristas sobre porque elas votarão 17 e a resposta geralmente é “muita frescura isso que falam dele. Ele é igualzinho meu pai/tio/amigo”. Ele é o povo brasileiro, refletindo nossos preconceitos arraigados, nossa intolerância, nossa ignorância. E isso não justifica nada. O que (infelizmente) ainda é permitido nas rodas de bar não é aceitável da boca do presidente da república. Eu teria um enorme prazer em votar contra Bolsonaro e a favor de pelo menos meia dúzia de outros candidatos que disputaram o primeiro turno.

Mas aí chega a hora de ver a alternativa, a única opção que temos. Poucas perspectivas são mais desesperadoras e deprimentes do que assistir ao PT voltando ao Palácio do Planalto.
O PT, que nos legou milhões de desempregados sem condições de sustentar a família. 
O PT, cuja incompetência nos deixou na maior crise econômica da história brasileira (e sempre culpando os outros por isso). 
O PT, que perpetuou desigualdades e privilégios, que cristalizou poder e riqueza nas mãos uma pequena elite de políticos, altos funcionários públicos, empresários e grupinhos de interesse. 
O PT que se lançou na mais pura orgia de roubalheira, compra de parlamentares, indicação de capangas para as estatais e aparelhando o serviço público com incompetentes leais ao partido. Que abriu mão da diversidade de quadros e abraçou a fé cega e messiânica em um líder supremo, hoje encarcerado.

Que gritava nas ruas que tinha sofrido “golpe” e hoje cai na cama com os “golpistas” de ontem. Que gritou nas ruas contra a lava jato, contra seu presidente “injustiçado” mas que agora para o segundo turno na maior cara de pau faz 180 graus de curva, passa a esconder o mesmo messias injustiçado e afirma amorosamente que vai incentivar as investigações.

O partido que coordenou a compra do congresso, a cooptação de jornalistas, blogueiros, artistas, grandes empresários. O partido que cristalizou o discurso de ódio do "nós contra eles", a ideia de que se você não vota no PT então é anti-pobre. A ideia de que, no fundo mesmo, seu problema é que você não aguenta ver uma família humilde com comida na mesa (como se alguém fosse monstro assim para gostar de ver gente passando fome). 
O PT, mestre em comprar parlamentares, que já indicou vários asseclas para o STF e que, se eleito, indicará pelo menos mais três, obtendo completo controle sobre o judiciário. 
O PT que anunciou que pretende fazer o “controle social da mídia” e a reescrita da constituição, bem como “limitações aos poderes dos procuradores da Lava Jato”. E Bolsonaro é o maior risco para a democracia??

E, o pior de tudo, o partido que teve a cara de pau de não fazer uma miserável retratação, um miserável mea culpa, um pedido de perdão aos brasileiros pela devastação econômica, miséria e roubalheira. Tivesse o PT renovado seus quadros, feito uma autocrítica, tivesse a humildade de dizer "chega de presidência por um tempo, viva alternância de poder. Vamos embarcar numa candidatura Ciro Gomes, por exemplo e vamos trabalhar em ministérios chave em um governo progressista” eles teriam levado a eleição facilmente. E com elegância. Mas não. A ganância pelo poder (essa é a verdadeira e única ideologia do PT), a ambição de "não largar o osso", falaram mais alto. Se Bolsonaro for presidente, o PT é quem ele terá que agradecer primeiro.

É hora de escolhas difíceis. Eu não vou me omitir. Apesar das graves falhas de ambos lados da escolha, eu me faço a seguinte pergunta: quem tem direito a uma chance agora? Qual das duas falhas é mais fácil de corrigir? Chegando ao poder, acredito que seja possível que Bolsonaro modere seu discurso. Que ele irá evoluir no respeito às minorias historicamente oprimidas. Ele aprenda a duras penas que o presidente tem uma majestade própria e que é papel dele, proteger os mais fracos, unir as pessoas em respeito e paz. 
Acredito que seja bem mais possível que Bolsonaro se reposicione do que o PT deixe de ser PT. Com todos os defeitos que esse cara tem, uma coisa é preciso admitir: ele sabe o que não sabe e já fez guinadas ideológicas importantes, especialmente quando abandonou o estatismo paralisante e montou uma equipe econômica de primeira, com um projeto de governo muito bom (sim, eu li).

A eleição de Haddad (ou Lula?) marcará o início de tempos muito deprimentes, vingativos e sombrios no Brasil, com um projeto de governo muito ruim (também li), ancorado em fórmulas populistas que comprovadamente fracassaram. O Brasil merece mais do que a volta do PT.

É por isso que eu votarei em Jair Bolsonaro 17 no segundo turno.

Alexandre Ostrowiecki

Última actualización el Lunes, 22 de Octubre de 2018 15:47
 

Add comment


Security code
Refresh

Yo me fui

Indicado en la materia

Por ANDRÉS REYNALDO.-  Digámosle de una manera operativa el Síndrome de Yo Me Quedo. (Invito al culto lector a encontrar una prestigiosa denominación clásica.) Se observa, en mayor o menor medida, en...

Injusticia en el ISDI: LA UNIVERSIDAD CO

Indicado en la materia

Por JULIO BATISTA.-  Omara Ruiz Urquiola es la noticia más reciente. El ejemplo último de la intolerancia oficial dentro de la universidad cubana, justo el sitio donde la divergencia de criterios de...

DESCENTRALIZACIÓN, SECTOR PRIVADO, DISCU

Indicado en la materia

Por JORGE IGNACIO GUILLÉN MARTÍNEZ.-  El llamado proceso de actualización del modelo económico cubano, como ya es habitual, ha entrado en una nueva fase de profundas contradicciones entre el discurso y ...

Cuba: ¿reforma o violencia?

Indicado en la materia

Por JUAN ANTONIO BLANCO.-  Desde que empezó el año 2019 las autoridades cubanas tuvieron que enfrentar decenas de protestas de naturaleza económica y social a lo largo de todo el territorio y en...

Un grave problema socialista: Jerarquiza

Indicado en la materia

  Por Jorge Hernández Fonseca.-  No hay un solo postulado socialista de como producir bienes y servicios. Se basan en preceptos de tipo hipócritamente “moral” para, por la fuerza, obligar a las ...

Por qué fracasan las conversaciones Madu

Indicado en la materia

  Por Jorge Hernández Fonseca.-  En la Venezuela de hoy, hay dos posibilidades: 1) Negociar con Cuba. EUA, el Grupo de Lima y Europa negociar con la Habana. 2) Organizar una fuerza ...

La mano de Cuba en las conversaciones ve

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Desde las fallidas negociaciones de la oposición venezolana con altos mandos de la dictadura madurista, ya se vio más o menos claro que los planes de la Ha...