A dos días del congreso del partido, Raúl Castro "truena" nada menos que al ministro de las Fuerzas

El Consejo de Estado cubano nombró este jueves como nuevo ministro de ...

Guillermo Lasso aseguró que en su primer día como presidente de Ecuador reducirá los impuestos

Tras imponerse en la segunda vuelta de las elecciones el pasado domingo, ...

La Academia Nacional de Medicina de Venezuela reiteró que Cuba no tiene “verdaderas vacunas” contra

La Academia Nacional de Medicina de Venezuela reiteró este miércoles su alerta ...

Joe Biden anunció la retirada de las tropas estadounidenses de Afganistán: “Es hora de acabar con la

El presidente de los Estados Unidos, Joe Biden, anunció este miércoles la ...

Partidos indicam os 11 senadores titulares da CPI da Pandemia contra Bolsonaro

No Senado, os partidos já apresentaram nomes dos integrantes da CPI da ...

Com presenças de Bolsonaro e Fux, Congresso bolsonarista abre trabalhos legislativos do ano PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Jueves, 04 de Febrero de 2021 01:44

Com as presenças dos presidentes da República, Jair Bolsonaro; do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux; da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o Congresso Nacional realizou na tarde desta quarta-feira (3) uma sessão solene para marcar a abertura das atividades legislativas em 2021 após um mês e meio de recesso. A sessão foi conduzida por Pacheco, que preside o Congresso.

O presidente Jair Bolsonaro (esq.), ao lado do presidente do Senado e do Congresso, Rodrigo Pacheco (centro) e do presidente da Câmara, Arthur Lira, na sessão de abertura do ano legislativo — Foto: Pablo Valadares / Câmara dos Deputados

O primeiro a discursar foi o presidente Jair Bolsonaro. Antes, parlamentares de oposição gritaram contra ele palavras de ordem, como "genocida" e "fascista". Aliados do presidente da República o chamaram de "mito". "Nos encontramos em 2022", respondeu Bolsonaro.

 

 

Da cadeira da presidência, ao lado do presidente da República, Rodrigo Pacheco pediu ao plenário que desse uma oportunidade à "pacificação".

Bolsonaro é recebido aos gritos de fascista no Congresso e apoiadores gritam ‘mito’

Bolsonaro é recebido aos gritos de fascista no Congresso e apoiadores gritam ‘mito’

No discurso, Bolsonaro listou o que apontou como "realizações" do governo federal e disse que o governo garantirá dinheiro para a vacinação contra a Covid-19.

"O governo federal se encontra preparado e estruturado em termos financeiros, organizacionais e logísticos para executar o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. Com isso, seguimos envidando todos os esforços para o retorno à normalidade na vida dos brasileiros", afirmou.

Segundo ele, a crise sanitária mundial provocada pelo coronavírus impactou "fortemente" todos os poderes.

"Com incertezas de todas ordens, o governo adotou duas premissas: salvar vidas e proteger empregos. Todo o governo federal foi mobilizado para atuação coordenada e integrada e efetiva. Todos os órgãos passaram a direcionar esforços no combate ao vírus e à proteção de pessoas. Essas ações contaram com a colaboração dos senhores parlamentares", afirmou.

‘Inauguração de um novo ciclo é convite para reafirmarmos missões institucionais’, diz Fux

‘Inauguração de um novo ciclo é convite para reafirmarmos missões institucionais’, diz Fux

Em seu pronunciamento, Luiz Fux destacou a harmonia entre os poderes:

"O Poder Judiciário brasileiro atuará sempre em harmonia com os poderes Executivo e Legislativo. É dizer: sem se olvidar do espaço de independência conferido a cada um dos braços do Estado, devemos construir soluções dialógicas para o fortalecimento da democracia constitucional e para o desenvolvimento nacional", disse.

O presidente do Supremo também lamentou as mortes provocadas pela pandemia, que classificou como o momento mais trágico da humanidade desde a Segunda Guerra Mundial.

“A pandemia da Covid-19 revelou a finitude humana e descortinou novos desafios para os cidadãos e para as nossas instituições”, afirmou. Fux destacou que, mesmo nesse cenário, os poderes Legislativo, Judiciário e Executivo “reinventaram-se para continuar a exercer suas missões em prol dos cidadãos de forma ininterrupta e adaptada ao novo normal”.

'O povo não é o maior patrimônio do país, é o único', diz presidente da Câmara, Arthur Lira

'O povo não é o maior patrimônio do país, é o único', diz presidente da Câmara, Arthur Lira

Arthur Lira também falou em harmonia entre os poderes e disse que o momento é de superação de antagonismos.

"Como presidente da Câmara dos Deputados, comprometo-me a não medir esforços para que tal harmonia se traduza numa pauta comum em prol de toda a sociedade. A hora é de superarmos antagonismos, deixarmos para trás eventuais mágoas e mal-entendidos e unirmos forças para que saiamos maiores desta crise, para que o povo brasileiro sinta-se bem representado por cada um de nós, sinta-se protegido e atendido nas suas necessidades prementes", afirmou.

Sem fazer menção direta ao antecessor, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que teve atritos com Bolsonaro, Arthur Lira defendeu que, nos próximos dois anos, os parlamentares possam "romper" a "própria paralisia interna provocada por problemas políticos passageiros que a História sequer irá registrar".

‘Nenhum extremo nos interessa’, diz presidente do Senado, Rodrigo Pacheco

‘Nenhum extremo nos interessa’, diz presidente do Senado, Rodrigo Pacheco

No discurso que proferiu, Rodrigo Pacheco pediu "conciliação", "moderação" e "racionalidade".

"Aprendi a fazer política em Minas Gerais, e a política mineira sempre foi de pacificação, de busca de união e de unidade, de respeito, de conciliação, de moderação, de equilíbrio e de muita racionalidade.A política não deve ser movida por arroubos do momento ou por radicalismos. Devemos superar os extremismos, que vemos surgirem de tempos em tempos, de um ou de outro lado, como se a vida tivesse um sentido só, uma mão única, uma única vertente", declarou.

Pacheco disse que está discutindo com os parlamentares e a equipe econômica do governo um meio de permitir a prorrogação do auxílio emergencial sem afetar a busca por equilíbrio fiscal.

"Por essa razão, estamos estabelecendo, junto ao nosso Colégio de Líderes e à equipe econômica do Governo Federal, um caminho para compatibilizar o auxílio governamental aos mais carentes – que ainda é absolutamente necessário neste momento – com os princípios que norteiam a responsabilidade fiscal", disse.

Rito

Assim como em outros anos, a cerimônia seguiu um rito específico. Os presidentes dos três poderes chegaram pela rampa principal do Congresso, na qual estavam perfilados membros das Forças Armadas e pela banda do 1º Regimento de Cavalaria de Guardas, os Dragões da Independência.

No plenário da Câmara dos Deputados, Bolsonaro entregou uma mensagem dirigida ao Legislativo com as pautas consideradas prioritárias pelo Executivo.

Recém-eleitos presidentes da Câmara e do Senado, Lira e Pacheco receberam o apoio do presidente da República nas suas campanhas.

Mais cedo, Lira e Pacheco já haviam se reunido com Bolsonaro no Palácio do Planalto. Eles receberam do presidente uma lista de projetos que o governo pretende ver aprovados.

Em 2019 e 2020, quando a Câmara e o Senado eram comandadas respectivamente pelo deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), a mensagem ao Congresso foi levada pelo chefe da Casa Civil da Presidência — na ocasião, Onyx Lorenzoni.

Bolsonaro recebe presidentes da Câmara e do Senado

Bolsonaro recebe presidentes da Câmara e do Senado

Prioridades do governo

Pela manhã, Lira e Pacheco se reuniram com o presidente da República no Palácio do Planalto. Foi o primeiro encontro desde a eleição das Mesas de Câmara e Senado. Bolsonaro entregou aos parlamentares uma lista de projetos considerados prioritários pelo governo federal.

Dentre as propostas, estão a flexibilização de regras sobre compra, porte e posse de armas de fogo; projeto que isenta militares de punição em operações de Garantia da Lei e da Ordem e a regulamentação da educação domiciliar de crianças e adolescentes.

Na área econômica, o governo quer priorizar as propostas de emenda à Constituição (PECs) Emergencial, a dos Fundos Públicos e a do Pacto Federativo; além das reformas administrativa e tributária.

 

GLOBO

Última actualización el Lunes, 08 de Febrero de 2021 01:21
 

Add comment


Security code
Refresh

Disparados los precios de los alimentos

Indicado en la materia

Por FERNANDO LAVIGNE.- Los precios de los alimentos mantienen su tendencia al alza en Cuba, alcanzando ya en algunos casos un valor cuatro o cinco veces mayor que el que tenían antes del ll...

EE UU debe ayudar a los cubanos como lo

Indicado en la materia

Por MARIO FÉLIX LLEONART BARROSO.- Por los días que se viven en Cuba desde el 1 de enero de 2021, con la puesta en práctica de la denominada "política del Reordenamiento", no...

¿Servirá de algo que Raúl Castro no siga

Indicado en la materia

Por ROBERTO ÁLVAREZ QUIÑONES.- El VIII Congreso del Partido Comunista de Cuba, a celebrarse del 16 al 19 de abril, será muy importante según muchos analistas porque Raúl Castro dejará su cargo de pr...

¿Por qué hay que solidarizarse con la Un

Indicado en la materia

Por LIEN CARRAZANA.- Este 1 de abril José Daniel Ferrer García y más de 40 miembros de la Unión Patriótica de Cuba (UNPACU) cumplen 13 días en huelga de hambre. La policía política recrudece el ce...

Los Golpes de Estado: de Napoleón Bonapa

Indicado en la materia

Por Santiago Cárdenas.-  Fue Malaparte. Curzio. El escritor europeo más influyente y conocido durante la II Guerra Mundial y en los años de sus terribles secuelas, quien en su libro epónimo, ”L...

PATRIA Y VIDA: ¿De dónde son los cantant

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  ¿Raúl tú quieres saber, de dónde son los cantantes? Son de la Habana y cantan en Miami… Tararea todo cubano, de la isla o el exilio, después ...

Los comunistas no tienen competencia par

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Hay un debate estéril (por inútil) en Cuba, queriendo incorporar herramientas del capitalismo para paliar la hambruna que se avecina, después de un largo período de 62 añ...