Biden y la futura política de Estados Unidos hacia Cuba, Por Jorge Hernández Fonseca

Vivimos en EUA aquellos millones de cubano-americanos tomados como ejemplo por el ...

A los pies del Cristo Redentor, Brasil comenzó la campaña de vacunación contra el coronavirus

El gobierno de Brasil adelantó para este lunes el lanzamiento de su ...

El régimen de Maduro emitió una orden de captura contra dos directivos de Citgo designados por Guaid

El régimen de Nicolás Maduro emitió una orden de captura contra dos ...

Cuáles son los principales objetivos de Joe Biden para los primeros 100 días de su presidencia

A dos días de que Joe Biden tome posesión como presidente de ...

Butantan pede à China agilidade na liberação de insumos para novas doses da CoronaVac

O Instituto Butantan pediu ao governo chinês agilidade na liberação de insumos ...

'Vamos dançar com todo mundo', diz Guedes sobre possível mudança na presidência dos EUA PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Sábado, 07 de Noviembre de 2020 01:07

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira (6) que o Brasil vai "dançar com todo mundo" e seguir "trabalhando com todo mundo", incluindo os Estados Unidos, independentemente do resultado das eleições presidenciais norte-americanas.

Vamos dançar com todo mundo', diz Guedes sobre possível mudança na  presidência dos EUA - Jornal de Mato Grosso

Questionado sobre o tema, Guedes comparou a política internacional a uma "festa" à qual o Brasil chegou atrasado – e, por isso, teria de "dançar" com todos. "Vamos dançar com todo mundo, porque chegamos atrasados na festa. Também não vamos superestimar o fator político quando ele não é para ser superestimado. A dinâmica de crescimento do Brasil depende de nós”, disse.

 

 

“A mudança nos Estados Unidos, eventualmente – e os dados indicam que está próxima de acontecer – não afeta a nossa dinâmica de crescimento. Particularmente com relação aos Estados Unidos, nós estávamos e continuaremos trabalhando com todo mundo, "afirmou.

Eleições nos EUA: entenda o que muda nas relações comerciais com o Brasil
--:--/--:--

Eleições nos EUA: entenda o que muda nas relações comerciais com o Brasil

As declarações foram dadas em um evento de um banco privado, transmitido pela internet. Ainda segundo Paulo Guedes, o Brasil depende de si mesmo para retomar a economia – e não das relações com parceiros comerciais, ou das oscilações no cenário global.

Até as 18h desta sexta, a contagem de votos prosseguia e o vencedor ainda não havia sido definido, embora o cenário indicasse vantagem para o candidato democrata Joe Biden. Aliado de Jair Bolsonaro, o atual presidente e candidato à reeleição Donald Trump pretende questionar uma eventual derrota na Justiça.

Desde o início do mandato, o presidente Jair Bolsonaro fez diversos movimentos na tentativa de se aproximar de Trump. Recentemente, Bolsonaro também rebateu críticas de Joe Biden ao aumento das queimadas na Amazônia – o candidato chegou a falar em "retaliação" ao Brasil por conta do meio ambiente.

Nesta sexta, já com as apurações nos Estados Unidos em estágio avançado, Bolsonaro declarou que Donald Trump "não é a pessoa mais importante do mundo". Mas não citou Biden no discurso.

Bolsonaro diz que Trump 'não é a pessoa mais importante do mundo'
00:00/04:29

Bolsonaro diz que Trump 'não é a pessoa mais importante do mundo'

Estímulos ao consumo

Durante a apresentação, Guedes afirmou ainda que o Brasil poderá manter alguns dos estímulos dados durante a pandemia para ajudar na retomada do crescimento. O ministro da Economia não citou quais estímulos poderiam ser mantidos.

Segundo Guedes, o desafio atual é garantir que medidas como o auxílio emergencial mantenham o efeito sobre a atividade econômica sem impactar de forma mais permanente a inflação.

“Esse esforço de transformar essa recuperação cíclica em uma onda de investimento para sustentar o nosso investimento é que é o nosso principal desafio. Estamos trabalhando justamente para garantir isso. Estamos trabalhando para impedir que os efeitos sobre a inflação se perpetuem e estamos para garantir que os efeitos sobre a atividade econômica se sustentem”, disse.

 

G1 GLOBO

Última actualización el Viernes, 13 de Noviembre de 2020 03:39
 

Add comment


Security code
Refresh

Eso de culpar al 'bloqueo' ya no encuent

Indicado en la materia

Por Juan Antonio Blanco.- Un pilar esencial para la credibilidad y sostenimiento del régimen totalitario cubano ha sido la promoción de falsas narrativas para consumo nacional e internacional. Pero hay crecientes evidencias de qu...

Invertir en Cuba

Indicado en la materia

Por MANUEL HERNÁNDEZ.-  El habanero Manuel Hernández es el ganador del primer premio del concurso Empresario Cubano, organizado por el Observatorio Cubano de Conflictos y Apretaste! El certamen consistía en aconsejar a un...

Las dictaduras castrochavistas buscan ca

Indicado en la materia

Por Carlos Sánchez Berzain.- El siglo XXI en las Américas esta marcado por la recreación del castrismo convertido en castrochavismo, para la de agresión a las democracias y la simulación política de...

La 'Tarea Ordenamiento' desincentiva la

Indicado en la materia

Por RAFAELA CRUZ.-  La agricultura es un sector capital de la nación cubana por lo que representa para el millón de personas que en ella labora y lo que implica para los 11 mi...

La tormenta perfecta: San Isidro más la

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  No es posible un ordenamiento monetario sin oferta de bienes o servicios. La validez de cualquier moneda se decide en el mercado, no en un escritorio burocrático. A ...

El “Isidrazo” y la crisis de legitimidad

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  En medio de semejante escenario degradante, un grupo de jóvenes artistas de un barrio marginal habanero, muchachos sin camisa y con gorra de peloteros, le plantan cara al...

San Isidro: Acabar con el ninguneo del g

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  En la carta que el “Movimiento 27N” ha hecho llegar a los medios de comunicación, se aclara que la discusión no es sobre “cultura” es sobre “libertad po...